O workshop foi realizado no dia anterior ao congresso Fotografar 2010 em SP.

Em oito horas, o fotógrafo Everton Rosa explanou conceitos e teorias que ele alia à prática cotidiana em seu estúdio, no Rio Grande do Sul, e também nos trabalhos externos. Casamentos, books, formaturas, 15 anos, enfim, a fotografia social foi evidenciada e pôde ser questionada pelos presentes, que tiraram dúvidas e debateram seus trabalhos intensamente.

A marca, o prestígio da marca, produtos, comportamento, postura e a demonstração de seus equipamentos e o uso deles – entre outros tópicos – foram exibidos durante todo o dia 12 de abril, das 9 às 18 horas, em uma das salas direcionadas para as atividades paralelas que ocorrem na Fotografar 2010. A feira, por sinal, é realizada de 13 a 15 de deste mês, nos salões de convenções do shopping Frei Caneca, em São Paulo.

“Lembrem-se sempre de que a fotografia está no olhar de cada um de vocês. Portanto, cabe a vocês aprimorarem suas técnicas para crescer na profissão. Não adianta colocar o anzol certo no rio errado, ao mesmo tempo em que não adianta colocar a rede errada no açude certo. Foco, planejamento e criatividade fazem parte de qualquer trajetória de sucesso”, disse Everton, exemplificando, em meio ao workshop.

Luz, marketing e inspiração

Alexandre Garcia, 34 anos, de Novo Horizonte, interior de São Paulo, disse que o workshop foi muito proveitoso e destaca o aprendizado sobre segunda luz como o mais importante. “É algo que não estamos acostumados a utilizar, e isso aproxima o fotógrafo do conceito que ele passa de que a fotografia social pode, sim, ser uma arte”, diz.

O carioca Marcio Rosa, 44 anos, fala que o workshop agregou valor principalmente a fotógrafos como ele, que vêm de uma escola antiga e que não lidam de forma tão freqüente com questões como o marketing pessoal. “É muito importante trocarmos essas ideias todas, conhecer de perto esses conceitos e as técnicas dele, tais como aquelas em que ele usa luz ambiente durante as cerimônias”, conta.

Fernanda Vilhena, 31 anos, de Divinópolis, Minas Gerais, pensa que é sempre muito bom participar deste tipo de atividade para renovar e voltar com mais vontade para o trabalho. “Aprender algo novo é sempre interessante. Não tem como aplicar tudo, mas o pouco que agora podemos aplicar, já vale muito. Serve, também, para abrir os nossos olhos para outros caminhos. Uma bela inspiração”.

Autor/Fonte: Equipe ER Associados
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Set your Twitter account name in your settings to use the TwitterBar Section.